Infraestrutura lidera investimentos anunciados em 2014 e 2015; projetos ligados à ação estatal são fundamentais para esse resultado

Os US$ 36,5 bilhões anunciados para o Estado em 2014 significaram um aumento de 31,8% em relação ao total divulgado no ano anterior (US$ 27,7 bilhões).

Como ocorre desde 2010, a infraestrutura representou dois terços do montante anual, registrando seu quarto maior valor na série histórica (US$ 24,4 bilhões). Seguem-se a indústria (15,9%, ou US$ 5,8 bilhões), os serviços (14,3%, ou US$ 5,2 bilhões) e o comércio (3,1%, ou US$ 1,1 bilhão).

No que se refere à infraestrutura, cabe pontuar que nesse ramo foi fundamental a ação do Estado na promoção dos investimentos, pois 43,8% deles estão ligados a empresas públicas e 19,4% a concessionárias ou parceiras do setor privado.

Os transportes alcançaram novo recorde de participação na infraestrutura (74,7%, ou US$ 18,2 bilhões), especialmente o modal terrestre, pelos investimentos na expansão da rede metroferroviária, que visam melhorar a mobilidade urbana.

Entre 2013 e 2014, os investimentos na indústria diminuíram, em termos relativos (de 19,6% para 15,8%), porém cresceram, em valores absolutos (de US$ 5,4 bilhões para U$ 5,8 bilhões). Nos dois anos, as principais influências positivas vieram dos ramos de outros equipamentos de transporte (aviões) e de veículos automotores. t O montante destinado aos serviços avançou 38,2%, de US$ 3,8 bilhões, em 2013, para US$ 5,2 bilhões, em 2014. As atividades imobiliárias, ainda liderando o setor, reduziram sua participação à metade (de 53,1% para 26,3%), ao contrário dos três segmentos subsequentes: saúde (de 4,5% para 22,7%), atividades esportivas (de 0,9% para 12,1%) e pesquisa e desenvolvimento (de 5,6% para 11,6%).

Mais de 60% do total de 2014 destinaram-se à Região Metropolitana de São Paulo (US$ 22,5 bilhões), que predominou em quase todos os setores, exceto na indústria, onde foi superada pela Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte.

No primeiro semestre de 2015, as informações preliminares (ainda sujeitas a confirmação) identificaram 302 investimentos com um montante de US$ 29,5 bilhões, 64,2% deles em infraestrutura.

Isso representa redução de 17,4% em relação ao primeiro semestre de 2014 (US$ 35,7 bilhões), mas expansão de 39,3% em relação a igual período de 2013 (US$ 21,2 bilhões). É importante salientar a influência da valorização do dólar nos seis meses iniciais de 2015, pois, convertidos em reais, os valores anunciados aumentaram nos dois comparativos (7,2% e 107,5%, respectivamente).

Análise em PDF